A justiça para quem serve



“Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis.” (Hebreus 6:10)


Às vezes, pensamos que Deus se escondeu atrás de uma muralha, e fica com um apito na mão aguardando uma infração quando não fazemos o que deve ser feito, e aciona o apito para que sejamos flagrados e disciplinados. Às vezes, pensamos que nosso serviço para Ele fica sem uma justa recompensa. Eu já vi filhos de Pastores e Profetas reclamando por seus pais “nós” não terem alguns direitos, como se Deus estivesse inadimplente na chamada que fez, ou ficasse devedor de alguma coisa aos Seus SERVOS.


Eu estava no interior do Nordeste, num estado muito bem sucedido e uma cidade conhecida, quando um filho de Pastor, revoltado por seu pai ter passado humilhações nas sessões administrativas de uma Igreja de tradição, e não ter tido uma vida como empresário, disse:


“Meu pai evangelizou num jumento todo o interior desse estado, fundou Igrejas e agora está aqui, sem nada”.
Olhou para mim e disse: “Veja, Pastor; isso é justo?”.
O pai o interpelou: “Meu filho, eu desfrutei do mesmo transporte que Jesus usou, o que essa geração jamais terá, que é andar de jumento para fazer a obra que fui chamado. Eu nunca passei fome nem sede, nunca faltou o que vestir, e posso dizer que fui um homem realizado. Só fui humilhado por amor a Cristo”.
E continuou: “E você, meu filho, o que você faz hoje?”.
“Sou médico”, respondeu ele.
E o pai seguia com outra pergunta: “E suas duas irmãs?”.
“Médicas, meu pai!”, respondeu.
Então, o pai falou: “Avalie bem o que vou dizer. Se eu não fosse Pastor, será que vocês seriam doutores?”.
O filho, reflexivo: “Creio que não, meu pai!”.
“Então, hoje é a última vez que o verei murmurando. Jesus e o Seu Reino deram para vocês o que vocês jamais sonharam. Para mim, vocês são a boa paga da conta e que Deus fez o impróprio para nos honrar. E eu estou cheio de gratidão”, exclamou o pai. Todos ficaram em silêncio.