A Mente deste Século (6)


“Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa.” (Filipenses 2:2) Quando nós mudamos a maneira de pensar, transformamos a forma como agimos, olhamos desafios diários por outra perspectiva e temos a responsabilidade em ouvir os gritos da humanidade. A Igreja tem as ferramentas necessárias para mudar o histórico das pessoas que cercam nossa geografia. O pavor que entrou na Terra e o espírito de medo que penetrou na alma humana revelaram a fragilidade do homem e devolveram o valor de viver de outros tantos. É bom viver! Nossa sociedade está enferma. Esses dias, fazendo uma leitura da mídia social, observamos que uma geração em peso para pra ouvir desgraças e pensamentos que adoecem a mente. Como sairemos dessa situação? Usando a mesma ferramenta social IA (Inteligência Artificial) para vacinar nosso povo e arrancar esse espírito de medo que tem dominado a alma humana. Nós temos o espírito de consolo.


“Portanto, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões, completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa. Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.” (Filipenses 2:1-4) Nossa atitude, como líderes regenerados, é muito importante para ministrar encorajamento aos que nos cercam. Às vezes, precisamos ser inspiradores e, com nosso bom testemunho, motivadores para aqueles que nos cercam. Não sei se você já observou, mas muita gente nos toma como modelo e quer se espelhar em nós, por isso não podemos desfalecer, ainda que nosso homem interior se esteja consumindo, temos uma promessa de restauração e incentivo. Somos a esperança para os que nos ouvem, e aqueles que se aproximam de nós desejam ter a lição da vida de Deus que nós já possuímos. “Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porq