Ampliando nossa geografia, não subestimando as guerras


Nossa visão de território é muito tacanha. Fui em um congresso profético, e a chave daquela ministração foi: Conquistar território é importante, mas o fundamental é manter o território que conquistamos. É fácil, em meio a tantas batalhas, umas legítimas e outras não, nos destruirmos e perdermos os territórios. Muita gente era para estar contando um poderoso êxito, mas a distração roubou, literalmente, a conquista. Este ano, quando nosso tema é um desafio: Minha geografia é território da promessa, vamos crer que, por um milagre, muitas geografias assaltadas serão devolvidas, e muitos territórios perdidos serão restituídos. Quando você lê essa devocional, qual a sua geografia que foi assaltada e qual o território que foi perdido? Um dos maiores constrangimentos é olharmos para trás, vermos o quanto Deus nos deu, como fomos distraídos e hoje lamentamos as perdas. Mas creio em restituição e devolução de territórios.


“E restituir-vos-ei os anos que comeu o gafanhoto, a locusta, e o pulgão e a lagarta, o meu grande exército que enviei contra vós. E comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do SENHOR vosso Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o meu povo nunca mais será envergonhado. E vós sabereis que eu estou no meio de Israel, e que eu sou o SENHOR vosso Deus, e que não há outro; e o meu povo nunca mais será envergonhado.” (Joel 2:25-27)


Se esse é um ano de geografias restituídas e territórios reconquistados, estamos falando de milagres. Sim, uma ação no mundo espiritual, pois não existe território, legitimamente conquistado, que fique na mão do inimigo, nem geografia que tenha sido conquistada, por legalidade, que não nos seja devolvida. Em particular, ao longo dos anos, Deus tem me dado experiências poderosas, regadas em oração e jejuns, nas quais as causas “impossíveis” se tornaram possíveis e muitas coisas que estavam até no esquecimento, o Senhor ativou a promessa e no-las devolveu. É uma guerra na nossa geografia, mas sairemos vitoriosos.


“Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; destruindo argumentos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; e estando prontos para vingar toda a desobediência, quando for cumprida a vossa obediência.” (2 Coríntios 10:4-6)


Quando o rei Davi teve uma experiência de território ampliado, foi o próprio Senhor quem o restituiu. Existem coisas que quando conquistadas na força do braço, são perdidas na mesma velocidade. Existem coisas que jamais lograríamos êxito e a ação do sobrenatural nos capacitou a essas conquistas. Você sabe que onde você está tem duas ações: Ou da força do braço, ou do sobrenatural. Os que obtiveram a conquista do sobrenatural, estão tendo milagres diários para contar e, por certo, um coração extremante agradecido, pois geografias extraordinárias não se conquistam sem o mover sobrenatural. Assim como Davi viu sua geografia ampliada, eu já logrei muito êxito também nesse sentido. E você, com certeza, tem um testemunho nos seus lábios para testemunhar do poder de Deus na sua direção.


“Tirou-me de um lago horrível, de um charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos. 3. E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR. 4. Bem-aventurado o homem que põe no SENHOR a sua confiança, e que não respeita os soberbos nem os que se desviam para a mentira.” (Salmos 40:2,3)


Renê Terra Nova


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram