As Igrejas crescem com o Evangelho da Graça


Voltando o tema do crescimento de Igreja, descrito em Atos dos Apóstolos, e como a pregação do Evangelho da Graça, com compromisso, gerou milhões de vidas para Deus, a Igreja teve base e nasceu grande, com uma matriz de 12, depois 120 e a multidão chegou. No primeiro discurso do Evangelho do Senhor Jesus, quase 3.000 vidas. O que foi isso? Uma explosão de crescimento. O que foi ministrado? O Evangelho da Graça. Paulo diz:


“Você conhece quantas igrejas locais com três mil, cinco mil, oito mil ou mais discípulos? Qual outra reunião que reúne uma multidão em torno do nome de Jesus, convocado-os para salvação e edificação dos santos, a não ser Igreja? Quem poderá dizer que uma Igreja é ou não de Jesus, a não ser o Senhor, que foi constituído Juiz e Julgador sobre o povo, senão o espírito do anticristo. Só quem pode dizer a quem pertence a Igreja é o Senhor dela, que morreu por ela e por ela ressuscitou. Ou nos esquecemos do ensino de que ainda que seja por inveja o que interessa é que Cristo está sendo anunciado.


“Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.” (Filipenses 1:18)


O que poluiu a doutrina e a essência do Evangelho de Cristo? As teologias confusas. Uma delas, a teologia do neocalvinismo, nada a ver com a doutrina de Calvino, mas o que fizeram com uma exegese exagerada e uma hermenêutica fora do tom, isso tem perturbado o coração da Noiva, e levado muitos líderes a enveredarem por um caminho sem retorno. Assim como dependendo das correntes teológicas cristãs, existem aqueles que defendem que a graça é irresistível; que a graça é somente para algumas pessoas escolhidas e totalmente predestinada por Deus; e há ainda aqueles que acreditam que a graça é universal, ou seja, predestinada para toda a humanidade, mas que pode ser recusada livremente pelo homem. Agora, qual o objetivo? Para tentar colocar uma conta no calvário que não foi o propósito da salvação:


“Aquele que permanecer fiel ATÉ O FIM, esse será salvo”. Doutrina do Dono do Evangelho. Qual o ensino de alguns: “Posso tudo, faço o que quiser, ninguém manda em mim, sou livre, não sou legalista, ninguém me manipula, eu sou a Igreja, etc. Tudo bem, mas quando você avalia o resultado na vida de alguns, não é compatível o discurso com a conduta, nem com a doutrina de Cristo; e esse Evangelho da Graça se tornou cilada para firmar crentes desviados na Igreja e perturbar a mente dos salvos.


Esses ensinos viraram uma bagunça no entendimento, não só de jovens, mas dos que queriam o evangelho da conveniência. Entreguei minha vida a Jesus ainda jovem, em uma igreja Batista de tradição – bereanos – e me firmei nas Sagradas Letras. Hoje, saudável na fé, realizado em Cristo Jesus, com minha família no Altar e servindo a Cristo, nunca me desviei; não estou falando que não errei, mas não perdi a fé e convicção da salvação e da graça que me alcançou.


“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé.” (Romanos 1:16,17)_


Renê Terra Nova

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo