top of page

JERUSALÉM É NOSSA FONTE - Parte 07



“Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus; Nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.” (Mateus 5:34,35)


Eu sou muito atento a tudo que diz respeito a olhar para o futuro. Israel tem sido e será a base de todo o ensino. Não temos duas fontes e não conhecemos outra origem. Israel é a nossa casa e se tornou a nossa referência em tudo. Se quisermos crescer em fé precisamos olhar para a figueira com muita responsabilidade, pois além de ser um sinal para Israel e a Igreja, se torna um poderoso sinal para a Parusia. Quando solicitamos que você ascenda a Israel não é uma solicitude comum, é um ato profético de que você terá o seu entendimento mais ampliado de quem é Deus, porque Jesus veio e a Terra Santa se mantém intacta desde os dias da promessa. Vir a Israel é testemunhar que a figueira floresceu na nossa geração e somos testemunhas oculares dos milagres que o Senhor operou naquele território, como a base do Cristianismo autêntico, onde os princípios e valores não são alterados.


Claro que existem muitas controvérsias nesses textos e não podemos desconsiderar os que pensam diferente, pois a visão greco-romana não deu trégua durante muitos anos, e formou teólogos antissemitas com a função de desconstruir a Terra Santa e acusar os judeus das atrocidades com o Messias Jesus. Mas, você e eu sabemos que a Igreja nasceu em Jerusalém, e se expandiu para toda a Terra, e precisamos ativar a memória que todos os discípulos que fundaram a Igreja eram judeus, e a Igreja de Jerusalém era composta de judeus da terra, assim como a primeira colheita em Atos foi de quem confessou Jesus, e foram batizados no batismo de Jesus, ou seja, reconhecendo Jesus como Messias, Senhor e Salvador do Seu povo. A expansão do Evangelho não se deu por gentios, a matriz primogênita do Cristianismo foi de judeus apaixonados que, literalmente, deram a vida por Jesus, quando em uma só pregação nasceu o projeto mais poderoso para conquistar os confins da Terra. “Mas recebereis o poder do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra.” (Atos 1:8)


A Igreja nasceu pujante, com vontade de fazer o que o Messias ordenou: Pregar o Evangelho do Reino em todas as nações da Terra. O texto, em Atos, mostra uma Igreja de judeus que pagou o preço e não negociou a mensagem. “E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos? E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, em remissão de pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas. E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.


E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração. Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” (Atos 2:37-47)

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page