O Evangelho da “graça” e as desculpas para sabotar minhas responsabilidades


Não sei se é um equívoco, por parte de alguns, mas o que tenho observado é que por falta de responsabilidade não têm tido o compromisso nem seriedade com a teologia limpa. O que é a teologia aprovada? Não é minha interpretação, mas é o Evangelho pregado por Jesus, Paulo e a Igreja do primeiro século; as outras coisas são moveres do século, que alguns embarcam por ondas que podem trazer desconforto para o Evangelho de Cristo.


Em nome do “evangelho da graça”, muitos desejosos de se esconderem das suas desculpas almáticas, por medo de enfrentamento de suas debilidades, que TODOS POSSUEM, “eu sou o principal”, mas não podemos usar uma nomenclatura bíblica para tentar sabotar uma das coisas mais autênticas que o Evangelho promove: Libertação das nossas almas – onde estávamos presos em pecados, e a cura interior, que é a Graça do Senhor Jesus oferecida gratuitamente. A Graça é o maior prêmio que um ser chamado humano pode obter.


Mas como alguém pode se ufanar se achando numa graça superior a que o calvário nos deu? Voltando ao tema, é quando Paulo diz que ele se valia da Graça que apagou seu passado e lhe deu direito a uma vida integralmente nova.


“E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.” (Romanos 7:16-25)


A própria Bíblia mostra que alguns não podem usar a Graça para sabotarem o projeto perfeito; não há como sobrevivermos no campo espiritual sem esse entendimento maravilhoso. Nas diversas teologias – das mais puritanas as mais flexíveis – ninguém isenta a Graça, pois o que seria de nós se essa Graça maravilhosa não nos alcançasse? Como poderíamos avançar na nossa vida espiritual se não fosse o favor do Céu? Acredito que mesmo antes do mundo ser formado fomos feitos santos e irrepreensíveis diante dEle em amor.


“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência.” (Efésios 1:3-8)


Continua...


Renê Terra Nova

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo