O Evangelho de Cristo, e a esperança da Glória


Não estamos falando de qualquer Evangelho, estamos respaldados na legalidade de quem nasceu corretamente, viveu corretamente, morreu corretamente, ressuscitou corretamente, foi assunto ao Céu corretamente e voltará corretamente. Esse Cristo fascinante, nos incumbiu de uma missão, indo e levando o Seu Evangelho a toda criatura. O que isso significa? Que essa chamada que queima em nós não é de desejo próprio. Ele opera em nós.


“Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido em vão nem trabalhado em vão. E, ainda que seja oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós. E vós também regozijai-vos e alegrai-vos comigo por isto mesmo.” (Filipenses 2:13-18)