top of page

O EVANGELHO E O REINO DOS CÉUS (Parte 4)


“O Reino dos céus assemelha-se a um tesouro escondido no campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o novamente. Então, transbordando de alegria, vai, vende tudo o que tem, e compra aquele terreno. A pérola de grande valor.” (Mateus 13:44)


Jesus aqui enfatiza a importância que um ser humano tem de ir em busca de um tesouro. Na verdade, ele faz um investimento para ter direito àquele tesouro encontrado. Você sabe que na mente de Jesus, Ele não criaria uma Parábola que não fizesse sentido. Então, os discípulos entendem que o tesouro que deveria ser encontrado era Ele mesmo, o próprio Jesus, porque além de ter a Boa Notícia do Evangelho, vindo do Reino dos Céus, todos precisavam guardar esse tesouro poderoso chamado REINO. O que tenho visto? Há uma banalidade na “igreja”, onde o mal testemunho ocupou o lugar da decência, e a carnalidade assumiu o lugar da santidade. Por menos que isso, na era de Jesus, o povo foi exortado para viver uma vida íntegra. Naquela época, o povo vivia uma vida pacata e sem proposta de desvalor ético, moral, e espiritual, sem essa decadência degradante que estamos vivendo, e ainda assim, foram exortados a guardar a pérola de VALOR, o Reino dos Céus. “Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.” (Mateus 13:44)


Jesus ensina que para estar no Reino, precisamos investir, criar estratégias, e guardar o tesouro. Porém, o curioso nesse texto é a alegria do homem. “E pelo gozo dele, vai e vende tudo quanto tem e compra aquele campo”. De fato, não tem como estar no Reino e não ser tomado de alegria e, claro, debaixo dessa emoção, não ter iniciativa para manter o tesouro assegurado. O que eu vejo aqui é a logística montada para que o território fosse ampliado, e aquele que era apenas um transeunte na geografia se tornasse o proprietário do tesouro. Você já imaginou quantos tesouros deixamos escapar, às vezes, porque não nos sentimos estimulados a avançar e, claro, tomar posse do território que o Senhor sinalizou para nós... Eu diria que nos falta esta ALEGRIA: A de encontrar o tesouro e não abortar a pérola que Ele está nos dando. Sei que, muitas vezes, você já deixou escapar algumas promessas, porque os contra-ataques eram tão intensos que faltou sabedoria na estratégia e a tristeza ocupou o lugar da alegria. “ENTRA NA ALEGRIA DO SENHOR”.


Jesus estava revelando a mente dos Céus para a Terra, querendo aproximar a revelação do Reino na nossa linguagem, tentando facilitar qual o propósito do Evangelho, como nós vamos viver a vida dEle aqui. Agora, existem muitas ministrações que são apenas uma justificativa, pois é como se a doutrina de Jesus fosse um convite a uma vida de sacrilégios, quando, na verdade, no Evangelho do Reino, pregado por Jesus, aprendemos que o Reino de Deus é paz, justiça e alegria no Espírito Santo. Isso não é antagônico com as doutrinas calvinistas que se nos são apresentadas? O que devemos fazer, na verdade, é restaurar o ensino de Jesus que é claro, e que Ele veio mostrar um Céu para nós, trazer o conteúdo do que, de fato, tem na outra vida. Claro que no mundo teríamos aflições, mas seríamos assistidos pelo bom ânimo dEle. “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16:33)

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page