O Homem de Dores e absolvição da minha condenação

Atualizado: Ago 31


“Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” (João 3:17)


Nenhum jurista vai absorver quem já está condenado, não existe homem bom para isso, pois todo crime ou infração estão passivos de julgamento e condenação. Você pode até entrar com habeas corpus para tentar uma condicional ou uma soltura provisória, mas a ficha do infrator ficará manchada enquanto for um ser social. Mas, os céus pensaram: “Como vamos absorver esses eternamente condenados?”. Foi aí que a eternidade, pela boca do PAI, olhou para Jesus e disse: “Será você, Meu Filho!”. Por que? Ele nos absolveu de toda culpa, toda dívida, todo pecado. Como? O Calvário comprou nosso passe, com direito à eternidade. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus.” (Romanos 3:23-25)


Todos pecaram e destituídos estão da glória do Senhor! Que condenação terrível, que falta de responsabilidade do homem em trazer essa consequência para a humanidade. E agora, como homens e mulheres cheios de argumentos, vamos ver que a condenação foi comprada, e o Homem de Dores tomou o meu lugar. “Mas contigo está o perdão, para que sejas temido. Aguardo ao Senhor; a minha alma o aguarda, e espero na sua palavra. A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pela manhã, mais do que aqueles que guardam pela manhã. Espere Israel no Senhor, porque no Senhor há misericórdia, e nele há abundante redenção. E ele remirá a Israel de todas as suas iniquidades.” (Salmos 130:4-8)


Essa promessa de compra da liberdade era porque a condenação era eterna, até o Homem de Dores entrar com a moeda que quita toda dívida, a Cruz. O “pós-eterno”, Aquele que ultrapassa a eternidade, que nem tem princípio nem fim de dias, e nEle estão convergidas todas as coisas, Ele nos ensina que nenhuma condenação há. Olha o tamanho dessa responsabilidade, estamos absolvidos da condenação eterna com o direito de vivermos a plenitude de Cristo Jesus. Esse preço foi pago com muitas dores e foi nos dado o direito de: “Tudo posso”, quando Ele conquistou com muita DOR no calvário. “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” (Romanos 8:1-4)_


Renê Terra Nova

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram