top of page

Primícias - instituição divina (parte 10)


“E eis que agora eu trouxe as primícias dos frutos da terra que tu, ó SENHOR, me deste. Então, as porás perante o SENHOR, teu Deus, e te inclinarás perante o SENHOR, teu Deus.” (Deuteronômio 26:10)


Olha que ato de fé, casado com o princípio. Quem instituiu esse princípio? Deus! Qual a finalidade de um Deus tão supridor de necessidades extrair mais uma demanda na vida do povo hebreu? Mesmo sabendo que a primícia sendo para Deus, precisava ser entregue a um sacerdote, aquele que estava designado para ser representante do Senhor, o que é um excepcional privilégio. Não temos como negar que um princípio tão relevante, que tanto abençoa, com certeza, quem ministra (entrega) e ajuda a quem recebe. A pergunta básica é: O que o Senhor tinha na mente quando decidiu instituir esse princípio? A quem Ele queria ensinar: Ao sacerdote, ou ao povo? A ambos. Por ser um princípio nascido no céu, instalado no Éden e aplicado aos sacerdotes, tudo que mexe no contexto da graça de dar se cria resistência. “E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro.” (Hebreus 7:8-10)


A disciplina em primícia é um entendimento de libertação, pois a maioria das vezes que somos solicitados aos princípios vem visitações à nossa mente querendo negar o ensino que nos fora ministrado. O preço de instalar o princípio deve ser alto, mas quando o entendimento se abre é libertador. Quando você conhece esse campo que subestima o princípio e depois que coloca Deus à prova, desfruta de uma outra vida de sucesso e plenitude, entende que o que vale no princípio não é o quanto você está ganhando, mas qual a experiência que você está tendo. E que fique claro: Deus não está ganhando nada com isso, a não ser a honra de ver Seus filhos vivendo essa chamada, porém a visão de libertação trazida por esse princípio de honrar a Deus e abençoar os ministros, é o princípio que foi instituído por Ele, não será anulado por causas de mentes pequenas que não compreendem e querem questionar o Senhor por ter pensado nos seus sacerdotes.


Observe que o texto vem como princípio e não como lei, porque o princípio das primícias é antes do Éden (Um assunto para ser posteriormente discutido), pois o Senhor, quando o criou, foi para decidir onde estava o primeiro, e aqueles que seriam honrados por estarem em posição de autoridade. As primícias não foram feitas para darmos coisas ao sacerdote, mas para ministrar a grandeza de Deus na vida do seu escolhido. “E eis que agora eu trouxe as primícias dos frutos da terra que tu, ó SENHOR, me deste. Então, as porás perante o SENHOR, teu Deus, e te inclinarás perante o SENHOR, teu Deus.” (Deuteronômio 26:10)


Renê Terra Nova

213 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page