A Doutrina do Evangelho e a Doutrina de Cristo (Parte 15)


“Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus.” (II João 1:9)


Hoje, tendo uma conversa bem aberta com os líderes, falava a eles sobre o perigo que incorremos em até acenar para algumas pessoas que mantêm uma conduta suspeita no Reino. O conselho do Apóstolo João é que nos afastemos desses e não mantenhamos nenhum um tipo de comunhão, não os saudando para não sermos partícipes das suas rebeldias. Claro que nós não estaremos nos abstendo das nossas responsabilidades de comunicação, mas manter relacionamento com quem desdenha da nossa fé é, no mínimo, uma falta de compromisso conosco mesmo.


“Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras.” (II João 1:9-11)


A exortação que o Apóstolo João aplica nesse texto acima é para temermos e, claro, observarmos que nossa conduta de fé deve ser mais observada, e as pessoas com quem conectamos devem ser alvo da nossa evangelização, ou aquelas que edificam nossa fé em Cristo Jesus. Porém, os rebeldes, devem ser afastados do nosso relacionamento, porque contaminam como praga que destrói os bons costumes, ou como ferrugem que corrói o ferro.


“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.” (II Coríntios 6:14-18)


Nesse inferno de conceitos contra a verdade de Deus, só os fracos na fé, ou dominados emocionais, se mantém em relacionamentos tóxicos e não se adiantam a romper com essas mentiras que Satanás tenta plantar como semente na mente dos santos, nas quais o sagrado e o profano caminham de mãos dadas, e a boa conduta do Reino fica em suspeita. Vamos trabalhar para que as mentiras de Satanás não prosperem no solo da nossa alma nem as ciladas do adversário nos coloquem em laços de passarinheiro. A ordem é rompermos do meio deles. São obras da Babilônia! Queremos os novos Daniel’s que não deixam corromper a cultura do Reino.


“E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra se fornicaram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias. E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.” (Apocalipse 18:1-4)


Renê Terra Nova

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo