top of page

A Geografia da Colheita, a que mais impacta o coração de Deus (19)


“E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A ceifa é realmente grande, mas poucos os obreiros. Rogai, pois, ao Senhor da ceifa, que mande obreiros para a sua colheita.” (Mateus 9:36-38)


A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Com certeza, você já ouviu essa expressão que mudou o destino de muita gente e, claro, tem experimentado essa verdade na sua história. Um planta, outro colhe, mas Cristo é tudo em todos. Porém, não existe colheita sem sementes plantadas e não se pode plantar sementes sem preparar o solo. O problema é que achamos que as pessoas estão preparadas e lançamos sementes precipitadamente. Qual o resultado? Não temos êxito na colheita! Você sabe que os que semeiam pouco, colhem pouco e os que semeiam muito terão direito à abundância. Se nós não aplicarmos o princípio, não encontraremos o êxito. “E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará.” (2 Coríntios 9:6)


Bem, quero lembrar a você A Parábola do Semeador. Qual a lição? Vejamos: “Tendo Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar; e ajuntou-se muita gente a ele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia. E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu junto ao caminho, e vieram as aves, e comeram-na; e outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.” (Mateus 13:1-8)


Na parábola, vemos Jesus ministrando sobre o poder da semente, e o estudo responsável do solo, onde cada semente será lançada. Na verdade, a SEMENTE é a mesma, mas o solo determina a frutificação. Eu não me sinto culpado pelas sementes que plantei na vida dos discípulos nem nas geografias por onde passei; sempre fui muito responsável com a semente lançada. Porém, o que mais me fez refletir é que mesmo alguns terrenos arados e bem-preparados se negaram de eclodir as sementes, por causa da falta de profundidade para as raízes. Então, se você é um plantador de sementes, não se entristeça com aqueles que não frutificam. Como eu comecei dizendo: A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page