A mesa do ímpio e a mesa do justo


“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Salmos 1:1,2)


Às vezes, entramos em um restaurante e nos chama a atenção uma MESA. Nela há muitos sorrisos, uma alegria incontida, compartilhamentos e, claro, muita “edificação”. Ao lado dessa MESA, também observamos pessoas mal humoradas, se agredindo em tons perceptíveis, como se a ofensa fosse uma forma de dizer: “Estou aqui, mas não gostaria de estar com vocês. Observando o outro lado, podemos ver uma MESA na qual os membros são incomunicáveis; não trocam olhares, estão ciberneticamente conectados e o mundo externo é mais importante do que o mundo real. Tudo é imaginários: Os amigos distantes estão perto e os amigos importantes estão distantes, mesmo que estejam a 20 centímetros de distância. “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.” (Salmos 1:1)