A Mesa dos Príncipes (2)


“Bem-aventurada tu, ó terra, quando teu rei é filho dos nobres, e teus príncipes comem (à mesa) a tempo, para se fortalecerem, e não para bebedice.” (Eclesiastes 10:17)


Uma geração que nunca ouviu sobre monarquia não poderá entender coisas simples como se comportar em uma mesa. Na cultura monárquica, o sentar da mesa é um dos momentos mais nobres, pois as instruções são relevantes e as estratégias precisas. Nossa geração é informal; não sabe como se comportar nem como conduzir os descendentes que estão à mesa. Em nome da modernidade e atualização, perdemos o respeito e a conduta correta em um dos lugares mais consagrados, a mesa da casa.


Você já ouviu muito a expressão: “Sentar no lugar de honra”. Às vezes, falamos: “Quem se senta à cabeceira, paga a conta”. Que coisa né?! Mas é verdade! Quem se senta no lugar de destaque é o nobre daquela reunião; seja em casa, seja em um lugar social.


Meu desejo pessoal: Eu queria, de verdade, um dia, me sentar em uma mesa de príncipes (sem julgamento) para aprender a etiqueta e degustar das conversas ali elaboradas. Claro que deve ser muito diferente, da hora que você chega e se senta até o momento que você se levanta e sai. Mas qual o conteúdo que foi elucidado ali?!


Somos uma geração muito mal educada. O progressivo tirou nossa comunhão, arrancando a mesa de nós e plantando uma modernidade nociva. Você está se avaliando e dizendo: “Como eu gostaria de ter tido uma mesa mais bem elaborada, que pudesse ter ensinado melhor meus filhos para colher resultados inigualáveis...”. Mas há tempo! Podemos ser devolvidos à cultura da Bíblia em que os filhos se sentam à mesa para refazer as forças e não para tolices. “Bem-aventurada tu, ó terra, quando teu rei é filho dos nobres, e teus príncipes comem (à mesa ) a tempo, para se fortalecerem, e não para bebedice.” (Eclesiastes 10:17)


Uma mesa de bêbados tem conversas de tolos, uma mesa de sóbrios tem conversas de nobres. Para ser um bêbado e romper princípios, não precisa ingerir álcool. Uma pergunta: As últimas conversas que você teve à mesa da sua casa, promoveu uma salutar resposta ou alimentou enfermidades?


Deve ser terrível uma mesa tóxica, na qual seus membros se agridem e não há respeito entre os que ali estão. Por isso, eu gostaria de absorver a cultura da mesa de príncipe, em que a condição seria de instruções de mudanças, estratégia para saber conquistar os territórios e muito ensino que plasmasse em entendimento do propósito.


Nossas mesas estão contaminadas com a cultura de ímpios, e os resultados não estão agradáveis. A Palavra nos ensina assim: Abençoada é a terra, onde o Rei e seus filhos se assentam à mesa para que suas forças sejam restauradas e não para manterem conversas de bêbados. Uma mesa em que a inteligência de diplomacia é revelada e, com certeza, as amenidades são colocadas de lado.


Creio que vamos avaliar melhor a mesa que nos sentamos e, claro, estamos prontos para nos assentarmos às mesas nas quais os nobres têm acesso.


Renê Terra Nova

171 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram