Ampliando a Geografia da Alma (Parte 4)


“Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.” (1 Coríntios 2:16)


Voltando ao assunto... Possuindo uma mente de conquista, esse é o desejo de todo ser humano que sonha. Quem não gostaria de ter territórios ampliados? Seja em qualquer aérea da vida, é da natureza humana a conquista de geografias novas e relevantes. Não conheço ninguém que seja líder, que esteja satisfeito com sua conquista. Tenho uma frase que diz: Agradecido sempre, satisfeito nunca! Esse sentimento traduz exatamente quem somos, uma geração de insatisfeitos. Não que não sejamos gratos pelo que possuímos, mas plenamente desafiados para conservação do que temos e perspectivos pelo que vamos ter. É muita gente se aventurando, desejando ter o que não vai conservar. É muita gente conservando geografias que não lhe dão futuro. Por isso, para muitos, não importa a conquista, pois não estão focados na conquista de territórios novos nem na ampliação de geografias. Para que nossa vida ganhe sentido, precisamos manter a visão de conquista do que seja relevante.


Um fator que sempre desafiou a geração é o desejo de conquista, mas a inerência foi mais forte que o propósito. As pessoas acham que vão conquistar sem luta, ledo engano, não existe nenhum território respeitavelmente conquistado que não se tenha travado uma importante batalha. Nós precisamos dessa experiência de luta para respeitamos a conquista. Uma geografia possuída, não acontece só porque desejamos, mas porque fizemos estratégias e buscamos mentorias adequadas para termos zelo por aquilo que foi conquistado. Se você não respeita sua geografia, com certeza, você não é o autor dela, não foi trabalho das suas mãos.


“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.” (Eclesiastes 9:10)


Os líderes sérios não subestimam suas conquistas nem negociam sua chamada. Uma geografia, uma vez conquistada, se coloca bandeiras de demarcações, pois ninguém quer ser invadido no seu campo que, por legitimidade, lhe pertence. Então, sua mente é a geográfica mais cara que existe, por isso não podemos deixar qualquer inimigo acessar. Falamos tanto de territórios guardados e geografias protegidas que, muitas vezes, ficamos observando territórios externos e não nos damos conta da geografia mais sagrada que um homem possui, a sua MENTE. Você já imaginou quantos inimigos desejam acessar sua alma (mente), sede das emoções? Se você não se vê manipulado nas mãos do adversário, então, você pode cuidar de qualquer território externo. Mas se não vigiar o território da sua alma, seguramente, você não sustentará mais nenhum território que conquistou, ou recebeu por herança. Muitos estão desejando sua alma (mente) e seu corpo, por isso, dobre a atenção.


“Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno. (Mateus 10:28)



Renê Terra Nova

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram