O Evangelho da nossa Salvação (2)

Atualizado: Set 10


“Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa.” (Efésios 1:13)


Não é de se surpreender uma geração confusa com doutrinas tão particulares. Nos dias dos Apóstolos do primeiro século, a Igreja já enfrentava conflitos doutrinários, e necessitava de líderes preparados – mestres – para arrancarem os fiéis do engano. Não tinha ainda a Palavra escrita, a tradição era oral, e se alguém errasse na comunicação do ensino, coisas estranhas visitavam o contexto sócio-espiritual da Igreja, e doutrinas de demônios possuíam a mente de alguns fiéis. A Igreja era nova, quem se mantinha firme eram os novos crentes que tinham experiências vivas com Jesus. Não discutiam sobre Salvação e outros assuntos teológicos, pois Jesus lhes era suficiente. Quando eu entendi a visão de Jerusalém, fui liberto de muitos enganos, mas, até hoje sofro as consequências da minha decisão pela visão teológica da “Jerusaleologia” – A doutrina de Cristo, limpa, sem fermento – A Jerusalém da Bíblia, da doutrina de Sião, quando os Apóstolos iam para receber força da Igreja “que era perseguida” e levavam ânimo para aquele povo que dava a vida para manter o Evangelho Vivo. Essa visão me fascina! Eles não aceitavam outra Palavra a não ser do Cristo ressuscitado.


O que dizer da Igreja dos dias de hoje? Mesmo com a diversidade de doutrinas e preferências nesse cardápio evangelicalista, como o pensador diz: “O evangelho dos evangélicos pode não ser o evangelho dos vangelhos”. Até você concorda que existem coisas que mesmo os jovens mais antenados em cibernética se escandalizam. Os nascidos de novo, é claro. Mas, o Evangelho de Cristo liberta mesmo. Você é testemunha disso na sua vida pessoal. A porção de Cristo em nós nos faz viver a dimensão da sua verdade. Não somos comuns! Nós somos de Jesus! Cristo em nós é a esperança da glória. “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele.” (I Coríntios 1:27-29)


O que mais escandaliza na Igreja é o mundo, ou os fiéis que continuam com o padrão do mundo no caráter? Você tem a resposta! Então, dentro dessa Igreja existe um povo, assim como existe a Igreja desviada na Igreja, existe um povo na Igreja que é modelo para os fiéis. Quando eu falo do Evangelho que SALVA, não estou mencionando só os pecadores externos, mas os perdidos dentro da Casa do PAI. Nosso trabalho de base doutrinária é incomensurável. O poder do Evangelho de Cristo, que transforma o inveterado pecador, é o mesmo Evangelho que traz de volta os filhos que estão no arraial dos santos, mas perdidos na Casa do PAI. Se fizermos uma conferência interna, haverá tanta reconciliação de pessoas que você jamais imaginaria que estão tão perto do Reino, mas sem salvação. Esse é o Evangelho que alcança a todos, o Evangelho de Cristo que nos salva de verdade.


Renê Terra Nova

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram