O Evangelho que Jesus viveu


“Porquanto Jesus os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas.” (Mateus 7:29)


Me desculpe, mas é fácil repetir um discurso, o difícil é praticá-lo. O Evangelho só é verdade na vida de alguém quando é vivido. Muitos treinaram a linguagem e, até mesmo, os cacoetes espirituais, mas nem por isso significa ser do Reino essa linguagem e esse indivíduo. Já vi muita gente falando o idioma inglês-americano, mas não ter a cidadania; eu acredito que você entendeu. Nem todos que dizem Senhor, Senhor, entrarão no reino dos Céus. “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” (Mateus 7:21-23)


Por que Jesus foi a diferença na Terra? Porque, além de falar bonito, ser verdadeiro e se manter em sabedoria, Ele era a personificação da Palavra. Ele era, na Terra, o Verbo Vivo encarnado de Deus. Possuía uma conduta ilibadíssima, e era aprovado em todos os Seus caminhos. Mas as obras das trevas resistiram a manifestação do Verbo de Deus, pois os homens, até mesmos religiosos, não suportavam Sua forma de viver nem Seu modo de falar, que era um desafio para mudança de conduta dos viciados religiosos e sociais. Contudo, o Verbo continua vivo, porque não desprezou Sua missão. “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.” (João 1:1-5)


Quando nós compreendemos o poder do Evangelho que foi pregado e vivido por Jesus e, claro, nos exemplificou que devemos e podemos vivê-lo também, esse desafio nos possui e começamos a ver que é possível trazer esse modelo de vida para nosso caráter. Conheço milhares de homens de Deus que separaram suas vidas para que pudéssemos ser modelo da reprodução da vida de Jesus. “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” (I Coríntios 11:1)


Qualquer pessoa pode imitá-lO, seguir Seus passos e reproduzir esse Evangelho maravilhoso (Boa Notícia do Reino). Em qualquer lugar por onde quer que estejamos, podemos ser reprodutores da graça do Evangelho de Cristo. Estamos diariamente desafiados a viver essa delícia e, claro, quando desfiados, aprovados nas provações. “Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” (Tiago 1:12-15)


Renê Terra Nova

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram