O fermento dos hipócritas e o evangelho de Jesus


“Sabeis que “um pouco de fermento leveda toda a massa.” (Gálatas 5:9)


A religião mata a visão e a carnalidade anula a vida dos discípulos. Os fariseus “religiosos” criaram tantas doutrinas que nem eles mesmos conseguiam sustentar tanto jugo; era tanto peso que Jesus não pode se encontrar no meio deles. O que eles tinham de tão esquisitos? Muitas coisas, mas a hipocrisia fazia parte do caráter. Como? A exclusividade. As pessoas exclusivas engessam o propósito e não navegam na visão que Jesus veio trazer: Um Evangelho leve e suave. A exclusividade é um fermento que leveda toda massa e danifica o propósito. A Igreja exclusivista não entende a diversidade de pensamentos (doutrinas aceitáveis), assim como não assimila que pessoas podem ter expressões diferentes e propostas iguais. Quando eu fui a primeira vez para Jerusalém, descobri que havia muitos atalhos, mas um só era o caminho para acender a Sião. Assim é a visão da Igreja: Muitos têm suas culturas, costumes, línguas diferentes, mas se quiserem o Evangelho sem fermento, um só é o Caminho. “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6)


Quem quiser viver o Evangelho sem fermento, vai precisar vigiar muito no que fala e faz, e evitar a hipocrisia nas suas condutas. Estamos tão misturados com o secularismo e achamos que Jesus mudou Sua doutrina e facilitou nossa caminhada. Quem desejar andar com Ele vai precisar de renovações de pensamento, pois podem até colorir a porta do Reino, mas ela continua estreita e só acessa quem se esforçar muito. Muitos dizem: “Mas o Evangelho não tem mais sacrifícios nem precisamos mais nos esforçar porque Jesus já fez tudo!”. Pois é! Reforço, foi Ele quem disse que para entrar pela porta estreita precisávamos nos esforçar, e quem desejar segui-lO tinha que tomar a cruz diária. “Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe: Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14:25-27)


Quantos estão levedando a massa, trazendo doutrinas estranhas secularizadas misturadas com doutrinas de demônios?! O Evangelho é simples para pessoas complicadas e o Evangelho complica quem quer carnalizá-lo. Viver na dimensão da mudança não é fácil para ninguém, mas se nasceu de novo, não é difícil para quem está obedecendo a vida de Deus. Precisamos anular a hipocrisia e nos abraçar com a verdade. Os que estão em Cristo são uma outra pessoa, e as coisas do passado não têm mais peso, e a novidade de vida os alcança. Viver sem fermento é experimentar a vida de novidades.


Vamos mostrar que extraímos o fermento que tem complicado a vida dos que confiam em nós. É muita hipocrisia, em nome do Evangelho, colocarmos fermento nas atitudes e discursos. Se assim procedermos, vamos alterar o processo do Evangelho do Reino e criar uma doutrina para nós mesmos. “Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” (Romanos 6:1-4)


Renê Terra Nova

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram