Servir é um DOM



“Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas.” (I Pedro 4:10,11)


Com tantas classes de interpretações sobre servir, podemos dizer que:


. Servir é um dom divino.

. Servir é uma chamada.

. Servir é uma dedicação pessoal.

. Servir é um modelo de ensino.

. Servir é uma reprodução de padrão.

. Servir é a educação de uma casa, comunidade, instituição, ou uma escolha de aptidão dos dons que o Senhor concede a alguém.


Se ser voluntário para servir é uma coisa muito boa, imagine alguém possuído desse dom, como está escrito em I Pedro 4:10,11.


Exercer o DOM de servir é colocar tudo quanto nos fora confiado na funcionalidade.


Uma pessoa que desenvolveu essa habilidade por um treino ou uma educação geográfica está debaixo de grandes promessas. Agora, imagine alguém que, de fato, tem uma chamada casada no DOM de servir. Conheço muitos ministros de Deus que possuem o dom da misericórdia e que nas suas possibilidades criam caminhos para mudar realidades geográficas, são pessoas com um coração apaixonante, tomam a causa do órfão, da viúva, dos pobres, dos necessitados, daqueles que ganham um salário desonesto, se compadecem dos miseráveis, fazem ações para mudar o histórico dessas vidas e, ao mesmo tempo, entregam a esses soluções para os dilemas. Isso é dom.


Imagina Jesus, sem compaixão, olhando friamente para a humanidade, sem o desejo de SERVI-LOS, esquecendo o Seu ofício, abdicando da ignomínia, fazendo pouco caso da humanidade e se esquecendo do que está escrito em Isaías 53?