Sou a Geografia do PAI (Parte 1)


1 Coríntios 3: 16. Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?


Você é uma geografia onde mora o Espírito Santo, você é conhecido como casa de Deus, residência do Altíssimo. Que projeto foi esse? Observe que os territórios são decididos em três esferas: Física, emocional e espiritual. Quando nós entendemos que somos patrimônio do Senhor, o temor aumenta e a responsabilidade dobra. Não somos casa de Deus, geografia do Eterno, para vivermos qualquer vida, mas para sermos o transporte de Deus na terra; nossa geografia foi construída no fundamento que é Cristo.


“Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.” (1 Coríntios 3:10-17)


Quando você tem a vida de Deus instalada no caráter, a visão de pertencimento é resolvida no seu espírito. Deus, por misericórdia e graça, em Cristo Jesus, nos fez CASA de Deus. Casa, em grego, Oikós, quer dizer: Lugar, ou geografia habitável; e Bait, em hebraico, dá indicação de que somos a geografia de Deus, ou lugar onde Deus habita. Somos exatamente isto: Uma geografia que tem Dono, e não nos pertencemos mais a nós mesmos. Por isso que qualquer aliança fora da promessa será rejeitada pelo Eterno.


“Não estais estreitados em nós; mas estais estreitados nos vossos próprios afetos. Ora, em recompensa disto, (falo como a filhos) dilatai-vos também vós. Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.” (2 Coríntios 6:12-18)


Sermos para Ele filhos e filhas, e Ele será para nós o PAI. Um Pai que tem residência, tem a sua geografia de destino, onde as instruções do que Ele quer e pensa para nosso futuro são as inscrições na Casa do Pai que faz toda diferença na vida do filho. Não existe um pai responsável que não tenha um destino honrado para os seus filhos. Por isso, devemos, em fidelidade, ficar atentos ao que o Pai nos instrui para que paternidades estranhas e paralelas não queiram nos roubar do propósito. Mas, a batalha é grande, por isso que Jesus nos ensina que foi preparar lugar, ou seja, um BAIT, onde se tornou habitação do Senhor, para que, nessa conexão, possamos nos apossar dessas promessas gloriosas e, como filhos de um Pai que não falha, sermos exatamente o plano que a instrução dEle está na nossa direção.


“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto.” (João 14:6,7)

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo